ataques Paris: o pai de um ataque vítima Facebook

O pai de uma das vítimas de 13 de Novembro intentou uma acção contra o Facebook, Google e Twitter. Ele critica essas redes sociais para permitir que mensagens de propaganda terrorista.

Para Reynaldo Gonzalez, o pai de uma das vítimas dos ataques de Paris de 13 de Novembro atacar várias redes sociais em tribunais norte-americanos. Ele culpa o Facebook, Google e outros Twitter por permitir que grupos fundamentalistas para espalhar suas próprias mensagens de propaganda, sem nenhum controle.

O homem, portanto, apresentou uma queixa junto do Tribunal Distrital Federal na Califórnia contra essas plataformas web, alegando que eles permitem que estas organizações para recrutar pessoal, mas também para arrecadar dinheiro ou publicar mensagens incitando ódio. O advogado do queixoso tem uma audiência nos EUA, recentemente atingida por uma matança em países de Orlando, incluindo o atirador, Omar Matteen, prometeu lealdade ao grupo islâmico Daesh.

Por seu lado, as plataformas negam qualquer envolvimento nesses atos. Eles afirmam que eles agem contra todas as formas de violência e também suprimir a natureza extrema de conteúdo. Twitter diz ter equipes dedicadas " investigar possíveis violações dos regulamentos, identificar violações dos códigos de conduta e trabalhar com as autoridades, se necessário ".

Facebook

leia também
  • Siri, Facebook Messenger: quais são os benefícios de bots?
  • Facebook anuncia planos para rentabilizar o Messenger
  • Facebook vai rastrear os usuários fora da sua rede social
Editado em 2016/06/17 às 13:53